Subsídio de alimentação

subsídio de alimentação

Quanto Custa o subsídio de alimentação?

Ou seja, mantém-se em 4,77 euros por dia (valor não sujeito a taxas). O subsídio de alimentação está sujeito à taxa de IRS e Segurança Social, caso o valor seja superior a 4,77 euros por dia e pago em dinheiro.

O que diz a lei sobre o subsídio de alimentação?

O pagamento do subsídio de alimentação não é obrigatório por lei. Mas, a generalidade das entidades patronais opta por fazê-lo como forma de compensar os seus colaboradores pelos gastos com a refeição que fazem no decorrer do horário de trabalho.

Quem tem direito ao subsídio de alimentação em 2022?

Quem tem direito ao subsídio de alimentação em 2022? Uma vez que não é obrigatória, apenas os trabalhadores que tenham esta remuneração extra prevista no contrato individual ou no contrato coletivo de trabalho é que têm direito à mesma, caso contrário não é exigido à empresa que pague o subsídio de alimentação.

Qual o valor do subsídio de alimentação em 2020?

Em 2020 não houve aumentos face a 2019, tendo-se mantido em € 4,77, se pago em dinheiro, e em € 7,63 se pago em cartão ou vale refeição. O subsídio de alimentação paga IRS?

Qual o valor máximo do subsídio de alimentação?

Caso receba o seu subsídio de alimentação em dinheiro e este não exceda os 4,77 euros, fica isento de descontos para a Segurança Social e IRS. Já em cartão de refeição, o valor máximo isento de tributação é de 7,63 euros diários. Os trabalhadores em part-time também recebem este subsídio?

Quais os impostos sobre o subsídio de alimentação?

Pagam-se impostos sobre o subsídio? Depende da forma como o subsídio é recebido e do montante. Caso receba o seu subsídio de alimentação em dinheiro e este não exceda os 4,77 euros, fica isento de descontos para a Segurança Social e IRS. Já em cartão de refeição, o valor máximo isento de tributação é de 7,63 euros diários.

Quanto Custa o subsídio de alimentação na função pública?

O subsídio de alimentação mantém em 2018 o valor que tinha deste o último aumento, em Agosto de 2017. Nessa altura o aumento foi de 0.25€, sendo que se manteve o valor de isenção de tributação nos 4,52€ por dia, ou seja, os 0,25€ de aumento eram sujeitos a tributação.

Quem tem direito ao subsídio de alimentação em 2022?

Quem tem direito ao subsídio de alimentação em 2022? Uma vez que não é obrigatória, apenas os trabalhadores que tenham esta remuneração extra prevista no contrato individual ou no contrato coletivo de trabalho é que têm direito à mesma, caso contrário não é exigido à empresa que pague o subsídio de alimentação.

Quem tem direito ao subsídio de alimentação em 2022? Uma vez que não é obrigatória, apenas os trabalhadores que tenham esta remuneração extra prevista no contrato individual ou no contrato coletivo de trabalho é que têm direito à mesma, caso contrário não é exigido à empresa que pague o subsídio de alimentação.

Qual a tributação do subsídio de alimentação?

Quem tem direito a receber subsídio de alimentação?

Quem tem direito a receber subsídio de alimentação? As empresas não estão obrigadas a pagar subsídio de alimentação ou outras ajudas de custo aos seus trabalhadores, a menos que isso conste expressamente do contrato de trabalho ou de instrumento de regulamentação coletiva de trabalho.

Qual o valor do subsídio de alimentação 2021?

Subsídio de alimentação em 2021. O valor do subsídio de alimentação para a função pública mantém-se em € 4,77 desde 2017. O Orçamento de Estado para 2021 não refere qualquer alteração para o ano em curso.

Qual é o valor máximo do subsídio de alimentação?

O subsídio de alimentação está sujeito à taxa de IRS e Segurança Social, caso o valor seja superior a 4,77 euros por dia e pago em dinheiro. Por outro lado, se se tratar de vale ou cartão de refeição, não estava sujeito a esses impostos, até ao limite máximo de 60%, que corresponde ao valor de 7,63 euros.

Qual o valor do subsídio de alimentação de um trabalhador em part-time?

Um trabalhador em part-time que trabalhe 5 ou mais horas diárias deve receber subsídio de alimentação de montante igual aos demais funcionários da empresa, se a sua condição for equiparável aos demais. No caso de trabalhar menos de 5 horas diárias o valor do subsídio deve ser proporcional às horas trabalhadas.

Postagens relacionadas: